sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

"A gente tá se Conhecendo ..."


Quanto tempo será que levamos para conhecer realmente uma pessoa??. Será que uma semana? Talvez uns três meses? Quatro a cinco anos?... Alguns dizem que só conhecemos uma pessoa de verdade quando passamos a morar debaixo do mesmo teto, rachar as contas, passar pelos mesmos "perrengues", dividir a mesma panela, beber da mesma água... E já ouvi as boas línguas falarem também que pode se passar quarenta, cinquenta, sessenta anos, uma vida inteira com alguém e não conhecer essa pessoa por completo.

E porque estou falando isso?. Já tem algum tempinho que nessas minhas andanças, meio que tropeços, na estrada rumo a esbarrar num possível amor, que tenho escutado muitos lábios repetirem a mesma frase "porque a pressa? vamos nos conhecer melhor, antes de tomar alguma decisão". E sinceramente, não vejo nada de errado nisso. É preciso mesmo conhecer um pouco do outro. Mas confesso que fiquei curiosa e numa dessas vezes resolvi perguntar quanto tempo levava para conhecer uma pessoa. Eis que me veio a resposta:

_ Um ano era um tempo bom para conhecer alguém, de verdade. E se fosse da vontade dos dois começariam um namoro.

Uma pontada violenta de desapontamento atravessou meu peito, não pela conversa, nem pela teoria do "Conheça o seu Amor em doze meses e talvez seja feliz", meu desapontamento maior é em perceber a desculpa atrás dessa frase, a covardia disfarçada em sensatez. Os relacionamentos de hoje, ou os quase possíveis relacionamentos estão fadados ao fracasso, porque o que se vê são eternos "estamos nos conhecendo" que nunca vão a lugar algum e que acabam morrendo sufocados com a falta de cumplicidade, gestos, carinhos, palavras.

Você não consegue se comprometer com alguém, os quase relacionamentos são promessas vazias, sem sentido, que no fundo, lá no fundo mesmo, a gente sabe que não vai dar em nada, que não vai para frente porque você não tem liberdade de sentir, não tem liberdade de se entregar, porque a cada investida num crescimento a dois você ouve um "vai com calma, nós estamos nos conhecendo". Você não pode fazer planos contando com o incerto, você é freado a cada suspiro mais empolgado que solta, as palavras precisam ser pensadas e analisadas, reações são podadas, há uma cobrança maior em apenas agradar para fazer dar certo.

As pessoas precisam entender que relacionamento é risco, é dar a cara a tapa, é enfrentar todos os medos de peito aberto porque mais uma vez você acha que encontrou a pessoa certa. Amor é tentar aprender todo dia um pouco mais do outro, juntos, andando de mãos dadas, sem medo de cair e ralar o joelho. Amor é dar liberdade para o sentimento do outro e libertar o seu sentimento. Mas, a cada "vai com calma" você está freando sentimentos belíssimos do outro, podando reações, gestos, perdendo um espetáculo de palavras que poderiam se transformar numa poesia a luz de velas, mas que acaba virando apenas silêncio sufocante num quarto vazio. E uma hora alguém vai cansar e pedir para sair.

Eu nunca canso de dizer que tenho saudade dos relacionamentos da adolescência, que não tinham medo de arriscar, que depois de uma semana de conversas já tinha o pedido de "namora comigo", que o conhecer era vivido no dia a dia com a pessoa. A beleza do relacionamento não está aí? Conhecer a pessoa por quem você está apaixonado, aquela pessoa que te dá um friozinho na barriga só de pensar que você vai vê-la mais tarde?. Relacionamento não é isso? Viver o outro intensamente e caso não dê certo, os dois vão para lados opostos  e vida que segue ou os dois dão certo e planejam o resto da estrada juntos?.




quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Eu queria ser Razão ...



Querido diário hoje eu fiz papel de trouxa...

... de novo.

E eu me surpreendi porque eu jurava que dessa vez ia ser diferente, que dessa vez eu tinha lido todos os sinais direitinho, minunciosamente, mas aí eu me dei conta que eu tava lá no cantinho da vergonha, sentada sem entender nada, vestindo minha camisetinha de trouxa outra vez. E quando a gente para pra pensar com a razão, deixa a ilusão e os sonhos de lado, a gente consegue enxergar tudo tão nitidamente, tão claramente, que fica se perguntando porque diabos não somos feitos de razão?! tudo seria tão mais fácil, tão mais prático.

Eu, perdida entre um sonho e outro, não me dei conta de que Ele não sentia o mesmo que eu. Mas aí foi tarde demais, o troféu da trouxisse já estava colado nas minhas mãos. Eu já tinha colocado o sentimento todo para fora, declarei todo o meu amor, tudo que tava engasgado aqui dentro, achando que era a coisa mais linda a se fazer e tudo que eu recebi foi silêncio, um silêncio ensurdecedor, que parecia quebrar todas as vibrações de amor que emanavam do meu corpo, nada, não teve nada, absolutamente nada.

E eu fiquei lá, sentada no banquinho da vergonha, olhando para um lado e para o outro, tentando entender o que tinha acabado de acontecer, olhando vez ou outra para os lados pra ver se não tinha me enganado, tentando inventar possíveis desculpas para o silêncio, mas as desculpas foram se esgotando e a dura realidade veio em forma de um troféu dolorido em minhas mãos.

Aí, só depois disso tudo é que vem a razão, dando mais um tapa bem forte no meio da sua cara como se todo o resto não tivesse sido o suficiente. E eu desejei, lá no fundo que eu fosse mais razão, porque dói e a gente não sabe o que fazer com a dor que se instala ali dentro do peito, sabe aquela dor que vai se espalhando e deixando um vazio por todo lugar?. Pois é, se espalhou numa tamanha rapidez que eu me vi odiando o sentimento que a pouco tempo  me tirava sorriso dos lábios.

Amor é certeza e eu sabia disso, se você tem dúvidas, se a pessoa que está ao seu lado te deixa dúvidas então sinto lhe informar, mas não é amor. Quando alguém te ama, e essa pessoa tem certeza disso ela não vai te deixar nenhuma dúvida sobre isso, ela vai fazer você ver e o mundo todo a sua volta também, mas a gente quer tanto que o outro sinta o mesmo que a gente que inventamos sinais, forçamos sinais e voltamos com o troféu de trouxa em nossas mãos. 

Eu queria ser razão, mas sou só Amor, e não sei se estou preparada pra parar de sonhar, não sei se estou preparada para guardar sentimentos no bolso, guardar expectativas no peito. Talvez o mundo precise de mais "trouxas" que arrisquem falar de seus sentimentos, do que se enforcar numa sala vazia com a falta deles. 

E olha eu aqui, sentada no cantinho da vergonha, esperando o vazio passar, sonhando mais uma vez...

   

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Não guarde sentimentos



Ei, você, que está aí lendo esse texto, por favor, não guarde sentimentos. Quando você guarda seus sentimentos apenas para você uma fadinha do mundo do Amor morre, morre de um dos piores jeitos de se morrer, sufocada. Vai por mim, você não vai querer ser assassino(a) de fadinhas bonitinhas do mundo do Amor. E o pior, você acaba se sufocando também, começa com uma dorzinha bem pequenininha no coração e quando você menos esperar, já tomou o corpo inteiro.

Se você sente, fale. Por medo de falar o que sentimos, nós perdemos muitas oportunidades de saber também o que o outro sente e pode ser que a outra pessoa não sinta o mesmo ou que você não sinta o mesmo pelo outro, mas a sensação de liberdade que vem depois, mesmo não sendo algo que gostaríamos de ouvir, é reconfortante, parece tirar 10 toneladas de nossos ombros. Porque muitas vezes nós nos prendemos a uma pessoa esperando, rezando para que ela sinta o mesmo e lá na frente quando cansamos de esperar, de sofrer, vamos descobrir o inevitável, que não era Amor.

Não tem frase mais certa que a que diz que "Amor é certeza", e é sim, Amor é certeza, porque quando uma pessoa te Ama, esse sentimento não cabe no peito, ela quer que você saiba e o mundo inteiro também. Então, você não acha que tem alguma coisa de errado quando começa a surgir dúvidas sobre o sentimento que aquela pessoa que está ao seu lado tem por você?. De alguém que não deixa claro seus sentimentos?.

Se você sente, chegue naquela pessoa e fale, fale o quanto ela é especial para você, o quanto o Amor dela te faz bem, que você não consegue se ver mais sem os carinhos e aconchegos debaixo do edredom, que o seu sorriso se abre toda vez que você se depara com o sorriso dela, que você só quer que o outro seja feliz também. Não é vergonha nenhuma estar apaixonado por alguém , e quem é que não gosta de saber que é o motivo do sorriso do outro?.

E se você não sente, por favor, fale também. Eu li esses dias em algum lugar uma frase que mexeu muito comigo, que dizia: "Doeu muito esperar pela resposta de alguém que não dizia sim, mas também não dizia não", e como a gente tem visto isso hoje em dia. Como dói não saber o que o outro sente, não ter certeza, pode apostar que dói muito mais a incerteza, do que saber que aquela pessoa que te faz suspirar com mensagens, não te quer como você o quer. Porque você pega o seu sorriso, guarda num cantinho e vai tentar superar, mas não ter certeza não te dá essa chance, nem de superar, nem de viver uma felicidade plena.

Então eu te peço, não mate as fadinhas do mundo do Amor, sufocá-las é cruel, é desumano. Não guarde seus sentimentos para você, deixa eu saber, deixa seus pais saberem, deixa a vizinha saber, os amigos, o padeiro, a professora da escola, o vendedor de dindin, a tia da lanchonete, o porteiro do seu prédio, o motorista de ônibus, os passageiros do metrô. E se mesmo falando de sentimentos você não ouvir o que queria, eu te deixo aqui, aberto, o meu abraço, porque nem sempre eu ouço o que eu quero, mas eu acredito no Amor e que quando ele chegar, não vai se perder por falta de eu falar, por falta de demonstrar, por falta de Amar.


quarta-feira, 28 de junho de 2017

Despedida ...


_ Dança comigo?

E foi assim que naquele final de tarde eu me despedi de você, em silêncio, agarrada ao seu pescoço, sentindo seu cheiro no balançar do "dois para lá dois para cá". Foi olhando dentro dos seus olhos verdes que eu disse um adeus dolorido, querendo ficar, querendo tentar mesmo sabendo que não daria certo. Então passei a mão no seu rosto, tentando capturar aquela imagem linda. E a gente dançou e sorriu e se entreolhou e meu coração se partiu ali, naquele momento juntamente com uma lágrima que rolou até o canto da boca. E a música simplesmente acabou.

Peguei a minha bolsa, dei um abraço apertado e parti sem olhar para trás. Era a última vez que atendia a sua ligação e aceitava sem nem mesmo pensar passar um fim de tarde com você, conversando sobre todos os nossos problemas daquela semana, sobre a vida e seus desencontros, sobre os desafios a cada passo, enquanto você cozinhava para mim e me fazia experimentar tantos sabores.

É engraçado, mas não tem momento melhor do que quando estou com você, fica tudo tão íntimo tão leve, é como se a gente se conhecesse a muitas vidas, muitas mesmo. E é aí que está exatamente o problema, esse momento não se agarra as nossas vidas, fica só ali naquele fim de tarde, entre nossos corpos jogados no sofá assistindo um filme bom, não atravessa e quebra a porta da sua casa, fica só(zinho) ali.

E infelizmente eu não tenho o poder de fazer aquele fim de tarde durar para sempre e uma pontadinha no peito começa a incomodar toda vez que eu guardo meu sentimento na bolsa e saio pela sua porta. E a pontadinha se torna um buraco enorme que começa a sufocar, a doer e você nem se dá conta. Até que a dor começa a invadir os fins de tarde.

Então te deixo aqui minha última dança, meu último sorriso, meu último abraço apertado porque todo o Amor que eu tenho aqui dentro não cabe só num fim de tarde, cabe numa vida inteira. 


quarta-feira, 21 de junho de 2017

Olhe mais para o Outro


"Tem gente que pede socorro fazendo silêncio", ás vezes, com uma simples mensagem, um ar desanimado, negando um sorriso que nunca havia negado antes, não atendendo uma ligação ou abrindo uma porta... São tantos os "não" sinais e será que você realmente está interessado? Será que você está mesmo prestando atenção em quem está ao seu lado em casa, no trabalho, na mesa do bar, na sala de aula?!.

Uma imagem no status de uma conhecida me chamou a atenção ontem a noite. Nela dizia "To legal", com uma pessoa visivelmente triste e esgotada sentada a uma mesa e que levantava a mão com um "jóia" para mostrar que estava "legal". Não sei porque resolvi enviar uma mensagem e perguntar se estava tudo bem com ela e para a minha surpresa em ver que aquela intuiçãozinha estava mesmo certa ela me respondeu "não", que não estava bem, que não tinha inteligência emocional para lidar com algumas coisas que estavam acontecendo e que queria ser sempre "otimista e positiva" como eu, mas que não conseguia.

Ah se ela soubesse não é mesmo?. Bom, na verdade ela soube, soube que eu também sofro, que choro e que muitas vezes carrego dores sufocantes aqui dentro. Ser alegre, otimista, positiva não nos blinda do sofrimento, talvez só mude nossa visão daquilo tudo, mas dói tanto quanto dói no resto das pessoas. E como eu disse para ela "se eu não for otimista quem mais vai ser nesse mundo que parece estar virado ao avesso?". E ainda assim, mesmo sofrendo, prefiro postar coisas bacanas, interessantes, engraçadas ou amorosas para que anime a pessoinha que está ali do outro lado, talvez sofrendo também, mas que pode encontrar um alívio numa postagem de Bom dia ou que consiga sorrir numa dessas engraçadas. Quem sabe não é mesmo?. 

E o que eu espero ter deixado bem claro também é que apesar de não postar meus sofrimentos, minhas dores, tenho sempre com quem conversar e espero que ela também, porque o que não pode é ficar guardando rancor e tristeza dentro da gente, "para isso servem os amigos, a família, um irmão, seus pais, seu melhor amigo", sentar e desabafar de vez em quando é preciso, mas com as pessoas certas, que se interessam, que se preocupam e fiquei disponível para quando ela precisasse. E isso vai ser sempre uma característica boa minha, ouvir as pessoas, estar disponível. E você? está disponível para o outro?.

Pergunto isso porque por estar sempre disponível muitas pessoas me procuram para desabafar e pedir conselhos (meio loucas né? confiar nos meus conselhos rs), mas sabe o que eu percebi? A maioria não está disposta a ouvir também. Falam, desabafam, tem a ajuda de que precisam e vão embora sem ao menos perguntar "Ei, Júlia e você? está bem?". Não é uma reclamação e sim uma percepção das coisas, quer ver?. Quantas vezes você perguntou para a pessoa que geralmente você conversa, desabafa, pede conselhos, como ela estava?. Eu sei, você estava cheia de problemas, cheio de angústias, não conseguia pensar em nada além disso. E quantas vezes, depois que você se sentiu melhor você voltou na pessoa e perguntou se ela precisava de algo? se estava tudo bem?. 
Pois é.

A gente costuma dar valor apenas a nossa dor e não a dor das outras pessoas. Quantas vezes você viu uma mensagem no status do seu whatsapp que achou estranha, que a pessoa poderia estar mal, mas você deixou para lá? Ou deixou para perguntar amanhã, um amanhã que nunca chegou?. Eu tento não postar a minha dor porque eu me considero uma pessoa muito sortuda em tudo, trabalho, família, amigos, o amor da lá um certo trabalho, na verdade muito trabalho, mas não podemos ter tudo perfeito, então tento não me queixar o que também é difícil, nem sempre nos damos conta de como temos quase tudo enquanto outras pessoas tem quase nada.

O que eu to tentando dizer é ... Sinta mais o outro, se preocupe mais, estenda mais a sua mão, seja solidário, abrace mais, beije mais, não deixe de mostrar o que sente, mas deixe o outro mostrar também o que ele sente, ouça mais, sorria mais. Se a gente fizesse isso saberíamos que nossos problemas são quase nada comparado ao do outro. Eu falei para a moça do status que eu era otimista e positiva sempre para ver se atraía mais coisas boas para a minha vida e quem sabe você atraia para a sua vida também?. Seja a sua luz, mas seja também a luz no fim do túnel do outro. Ultimamente ouço tantos "E se ... eu tivesse visto antes, eu tivesse falado antes, eu tivesse demonstrado antes..", e raramente um "Segura a minha mão, eu to aqui". 


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Me chamaram de Machista


_ Ju você é Machista.

_ Eu sou?

_ É sim.

_ Porque falei que mulher não foi feita para fazer escolhas?

_ Sim, isso é machismo.

E para quem acha que eu estava conversando com uma feminista caiu do cavalinho, estão muito, mas muito enganados. Fui chamada de machista num encontro por causa de um comentário assim que o cardápio foi colocado em cima da nossa mesa pelo garçom "mulher não foi feita para fazer escolhas", e me veio um "você é machista" bem de encontro com a minha testa. Então tentei explicar, que nós mulheres, somos por natureza meio indecisas, ainda mais se tem muitas opções ali na nossa frente, como por exemplo um cardápio com milhões de opções de bebidinhas gostosas que era para o que nós estávamos olhando, e que pode ser facilmente observado quando vamos escolher um sapato ou roupas ou o esmalte, vocês sabem do que eu estou falando. Ele parecia não saber ou talvez não ter entendido bem o comentário e levado para um outro nível.

Eu não sei vocês, mas muitas vezes eu paro para analisar e vejo mulheres usando o feminismo de uma forma tão equivocada e pelo que vejo homens também. Nunca me considerei feminista mesmo, então o comentário não me afetou em nada, porque na minha visão se houvesse respeito dos dois lados e se as pessoas focassem nisso, RESPEITO, não existiria machismo ou feminismo, porque ninguém é obrigado a aceitar tudo, mas deve sim respeitar o próximo, porque todos nós somos diferentes e está aí a beleza de tudo.

Homens usando do feminismo para se "livrar", se esquivar de situações que talvez facilite mais a vida deles, não porque entendem o movimento ou o respeitem, achem certo que mulheres sejam respeitadas ou possuam uma igualdade a eles em direito e deveres, mas porque não querem pagar um jantar ou o cinema, porque querem transar no primeiro encontro, não querem gastar a preciosa gasolina buscando a moça em casa ou ficar no encargo de escolher um lugar bacana para o primeiro encontro. E não estou falando que não querer fazer as coisas citadas acima seja errado, o errado é usar o feminismo para isso, vá no seu próprio carro, vamos dividir a conta... "Vocês não querem igualdade?", é a pergunta que frequentemente ouvimos para dar credibilidade ao feminismo, e isso sim é errado. 

Eu fui criada por pais que me ensinaram que eu podia ser o que eu quisesse na vida, contanto que eu lutasse por isso e me empenhasse ao máximo, e sempre me apoiaram em tudo e isso, em nenhum momento, excluiu o respeito e o amor, não teve uma separação. Meu pai me deu o exemplo do que é ser um homem trabalhador, respeitoso e cavalheiro, que abre a porta do carro não só para minha mãe, mas qualquer mulher da família e estende a mão para que ela possa sair do carro em segurança, que compra presentes em todas as datas comemorativas e que manda flores sempre, e que quando resolveu trocar as flores por um pé de alguma coisa que pudesse ser plantado no jardim quase causou uma separação, e tem que se redimir até hoje por isso, que levanta e sede o seu lugar quando vê uma mulher em pé. E se esperar o mesmo "tratamento", galanteio, é ser machista, eu sou machista sim, porque ao meu ver não há nada mais bacana que se sentir desejada, interessante para alguém, que esse alguém tirou um tempinho precioso dele para te mandar rosas ou bombons porque pensou em você ou passar no seu trabalho só para dar um beijo porque sentiu saudades ou porque planejou uma noite incrível ao lado dele, no meu tempo isso era chamado de romantismo, mas se agora é machismo, poxa eu sou bem machista sim.

Mulheres se escondendo atrás de um movimento para julgar tudo e a todos, atacar todos os homens do mundo, ter uma visão extremista das coisas. Se isso é ser feminista, desculpa eu não sou. Eu defendo que enquanto não temos um mundo ideal, o movimento deve existir sim, mas para informar as mulheres de seus direitos, esclarecer a população, buscar por esses direitos e deveres de forma justa, não a bagunça e de certa forma a opressão que tem se mostrado hoje, que julga mulheres que preferem ser "do lar".

Moço, eu não queria ser machista ou feminista, só Eu mesma. E ser eu mesma já é uma confusão enorme que você nem conseguiria imaginar. Não poder expressar o que eu penso ou sinto porque posso ser enquadrada em algo, é ainda pior. Me deixa ser mulher do jeitinho que eu quero ser e Amar do jeito mais bonito que eu conheço e se ser indecisa é um problema grande demais para você a gente pode pular o cardápio e ir direto para o furacão que ta preso aqui dentro, mas não sei se você aguenta essa parte também.




quarta-feira, 3 de maio de 2017

Você se lembra de como é estar Apaixonado(a)?


Me perguntaram se eu estava apaixonada...

E me veio quase que instantaneamente tantas lembranças boas, sensações boas de como é estar apaixonada. De tantos frios que teimam em invadir nossa barriga quando estamos assim, da delícia que é sentir que o outro anseia por ouvir a nossa voz, de sentir o nosso abraço, de que o dia dele não vai ser tão alegre porque não acordou ao meu lado ou pelo simples fato de não ter segurado a minha mão.

Aqueles momentos que a gente se pega olhando dentro dos olhos da pessoa para saber se ela realmente gostou daquele presente de aniversário que passamos dias tentando escolher, tentando acertar, horas de pesquisas com familiares e amigos para não errar e ser nocauteada em cheio por aquele sorriso gostoso de quem se surpreendeu e adorou tudo que estava ali em suas mãos.

O conforto no abraço apertado deitados no sofá vendo aquele filminho aguinha com açúcar, os beijos roubados entre uma cena chata e outra não tão chata assim. O brigadeiro devorado na panela mesmo, com muito mais beijos roubados para complementar a delícia que já é com aquele gostinho de chocolate e o calor dos nossos corpos que se encaixam perfeitamente nesse sofá apertado.

Poder dançar e cantar a noite inteira para alguém, com alguém, aquelas músicas que estraçalham o coração de qualquer apaixonado e não apaixonados também. Mostrar para todo mundo ali o tamanho do Amor descarado que a gente sente um pelo outro e não tem um pingo de vergonha de declarar que não cabe mais dentro do peito e fica ali estampado na nossa cara, no beijo, nas mãos, no olhar, quando o corpo dele toca o meu.

Eu estou apaixonada pela vida e pelos sonhos que estou correndo atrás o que é uma delícia também. Mas a sensação de cumplicidade, de confiar em alguém, daquela paixão avassaladora e do Amor que tranquiliza e vem com o tempo, eu sinto falta sim. 

E eu espero que chegue alguém para mim e para você que tá lendo esse texto e também sente falta desses momentos, desses sentimentos. Porque todo mundo merece, não diria SER feliz porque é você e somente você quem pode se fazer feliz, mas que todo mundo merece ser amado e ter alguém para amar e ser ainda mais feliz, que esse Amor com uma pitada de paixão dê um jeitinho de chegar até nós. Amém.